sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

POR QUE (NÃO) CELEBRAR O NATAL?

Jesus nasceu em 25 de dezembro? Esta não é uma pergunta para ser feita na noite de natal! Mas, é importante que saibamos: a resposta é não. Em nosso calendário Jesus teria nascido entre março e abril, o início da primavera no hemisfério norte. 

O calendário em vigor no Ocidente criado artificialmente, não corresponde exatamente à organização do tempo nas culturas judaica e romana. Até o século VI o calendário ocidental tomava como marco inicial a fundação de Roma. Em 526 d.C. o imperador romano do Oriente, Justiniano I, decidiu organizar um calendário original partindo do ano do nascimento de Jesus. Este foi chamado de Calendário de Dionízio. Em 1582 o papa Gregório XIII fez uma alteração. O mundo ocidental segue o calendário gregoriano. 

Estas reformas e adaptações não corrigiram erros graves. Convivemos com diferenças que equivalem a períodos superiores a um anos. Parece confuso, mas, na verdade, Jesus nasceu entre os anos 7 a.C. e 3 a.C. Não vale a pena desprender energia com discussões em torno de datas. Jesus nasceu. Isto é um fato bíblico. 

Não encontramos na Bíblia a menção do termo NATAL. No entanto, ela é enfática em sua defesa da importância histórica e teológica do nascimento de Cristo. Isso se conclui dos registros de eventos que cercaram o nascimento de Jesus: A adoração dos pastores (Lucas 2:8-12); as dádivas recebidas dos Magos (Mateus 2:1-11); o anuncio de paz e boa vontade dos anjos (Lucas 2:13 e 14). 

Os apóstolos e os primeiros cristãos eram incomodados por outra pergunta: quando Jesus se tornara o Cristo? Depois da ressurreição? No batismo? O tempo passava e o interesse avançava da ressurreição para toda a vida de Jesus, inclusive seu natal. Assim, somente cerca de trinta anos após a ascensão do Senhor eles começaram a registrar o seu nascimento como Deus-Homem. 

Os textos bíblicos que tratam do seu nascimento foram escritos depois de sua ascensão e são o resultado de um processo de descoberta. São fruto do amor que movia aqueles que o conheceram como Senhor e Salvador. O Espírito inspirava esta investigação e revelava o conhecimento da verdade. Os escritores sacros procuraram saber tudo, inclusive a origem. Chegaram então à revelação de que Jesus já nascera como Deus, pois era Deus encarnado. “NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1.1). Por isso, os evangelhos foram escritos com o objetivo de afirmar que Ele nasceu e viveu com Deus-Homem, sendo a salvação dos homens. 
A data exata do advento sempre foi cercada de polêmica. A primeira comemoração do Natal de Jesus em 25 de dezembro deu-se entre 325 a 354 d.C. em Ro­ma, mediante o imperador Constantino. Até hoje a Igreja Ortodoxa observa o Natal em 6 de janeiro, e os cristãos armênios em 19 de janeiro. 
No dia 25 de dezembro celebrava-se o renascimento Sol quando, no hemisfério norte, os dias começavam a ser mais longos. Era o solstício de inverno. Gradualmente a celebração do Natal foi assimilando vários costumes existentes nas nações que iam recebendo o Cristianismo. Muitos destes costumes, pagãos em origem, foram se transformando e, vencidos pelo Cristianismo, foram se enquadrando no espírito de Natal. O cristianismo não deixou de aprender com as diversas culturas que assimilava. Mas seu poder espiritual dava novo significado a costumes e festas. 
O Natal é nossa demonstração de gratidão pelo ADVENTO daquele que veio salvar os pecadores. O Sol brilhou entre os homens. A verdadeira Luz traz vida a todos. O natal é uma celebração. Deixar de festejar com o coração por que a mente não resolve um problema de calendário é reduzir o mistério da encarnação em seu significado transcendente.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O PAPEL DECISIVO DO PASTOR NA OBRA MISSIONÁRIA



O pastor, por ser o líder principal da igreja, exerce um papel decisivo na mobilização para a obra missionária. Missões precisa de missionários nos campos e pastores nas igrejas locais. E quando tratamos de uma campanha, sua atuação é decisiva em todo o processo para MOTIVAR, ENVOLVER e AVALIAR.
MOTIVAÇÃO. O pastor é motivado quando encontra motivo na teologia bíblica de missões que lhe apresenta Deus como missionário. Estar em missão com Deus leva o pastor a motivar a igreja com essa compreensão, principalmente através do púlpito. O pastor deve soltar a voz com energia e convocar o povo, desafiar para maior compromisso na intercessão, contribuição e ação. A palavra do pastor tem peso, por outro lado, seu silêncio pode esmagar qualquer campanha. A motivação começa com pregação contextualizada, estudos consistentes, aconselhamento e oração.
ENVOLVIMENTO. Discurso sem prática esvazia-se depressa e torna-se desmotivador. O pastor precisa envolver-se. Numa campanha missionária o pastor não pode ser passivo, distante, burocrático. Deve ir às ruas, abrir a carteira, dobrar os joelhos. Ser modelo para a igreja, sobretudo para a juventude.
AVALIAÇÃO. Amadurecimento exige avaliação constante. Precisamos aprender para evitar a repetição de erros. O alcance do alvo financeiro, por exemplo, não significa necessariamente sucesso. O crescimento no levantamento da oferta deve vir acompanhado de maturidade espiritual, envolvimento no evangelismo, despertamento de vocações. O pastor deve administrar o tempo de tal forma que lhe seja possível motivar falando, dar exemplo fazendo e levar a igreja a aprender avaliando para criar uma “memória missionária”.
No entanto, esse papel do pastor só será bem desempenhado se ele for coadjuvante do Espírito Santo, o único que de fato poderá motivar a igreja envolvendo-a com a expansão do Reino de Deus. Ele sonda nossos corações e avalia a todo instante nosso compromisso com a obra missionária.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

SITES SOBRE TEOLOGIA E PESQUISA BÍBLICA

Novo Testamento em geral

http://www.ntgateway.com/index.html
http://faculty.smu.edu/dbinder/resources.html
http://www.animabit.de/bibel
http://www.ntgatway.com/multibib.htm

sexta-feira, 15 de julho de 2011

PIB EM CATU COMEMORA 88 ANOS


Aos 88 anos, a Primeira Igreja Batista em Catu-BA caminha para a última década do seu primeiro centenário servindo ao Deus Eterno. Fruto do trabalho missionário da Primeira Igreja Batista do Brasil, no ministério do Pr. Coriolano Dulclerc, foi a segunda igreja cristã organizada neste município baiano, em 29 de junho de 1923, título reconhecido pela Câmara de Vereadores em 1999. A PIB em Catu-BA é a primeira igreja batista organizada na região metropolitana de Salvador.
A igreja experimentou seu maior crescimento no ministério do Pr. Lourival Bastos de Azevedo, seu primeiro pastor efetivo, que a encontrou com 12 membros idosos e a conduziu durante 40 profícuos anos, contando hoje com mais de 350 membros. A mesma mantém uma escola batista na cidade com 240 alunos e é, reconhecidamente, uma igreja missionária e responsável socialmente, com 05 extensões e 09 de seus membros efetivados no quadro de missionários da denominação.
Por isso a igreja reuniu-se com tanta motivação para celebrar o que Deus tem feito nestes 88 anos. O maior motivo de alegria para os presentes nas comemorações do seu 88º aniversário foi a oportunidade de crescimento espiritual e evangelístico. Reunida de 05 a 10 de julho, a igreja viveu uma semana abençoadora enquanto se preparava para as conferências evangelísticas. Pregaram nesse período o seminarista Jairo Cerqueira, vice-presidente, Pr. Lourival Bastos de Azevedo, pastor-emérito e o Pr. Eber Mesquita de Azevedo, que substituiu o pai, no ministério da igreja (2005 - 2010), e atualmente é o Coordenador da Junta de Missões Nacionais para Bahia e Sergipe. No final de semana (09 e 10.07) o templo recebeu mais de 220 pessoas não-crentes. Elas foram confrontadas com a mensagem do evangelho através do Pr. Iran Fábio Alves, orador oficial, e missionário de Missões Nacionais em Patos de Minas-MG. A irmã Dayse Alves, sua esposa e também missionária, ficou responsável pela conferência infantil. O casal tem sua origem e formação na igreja e reviveu as melhores lembranças com familiares e amigos que permanecem na cidade.
É maravilhoso testemunhar uma igreja unida e motivada produzindo frutos para o reino de Deus. Na noite do domingo (10.07), cerca 600 pessoas estavam presentes. Para isso, um exército de voluntários vestiu a camisa e trabalhou incansavelmente. Além disso, mais de 10 pessoas fizeram uma decisão por Cristo e estão sendo acompanhadas espiritualmente. Ao final, o sentimento geral era de gratidão a Deus, porque em mais uma jornada a igreja mostrou seu potencial para expandir a causa do evangelho desfrutando da presença poderosa de Deus.
Essas conquistas tornaram-se possíveis pela consciência de que Deus trabalha até agora e a igreja trabalha também (João 5.17) e roga ao Senhor da Seara que mande trabalhadores (Mateus 9.35).
Foi o primeiro aniversário da igreja comemorado no ministério do Pr. Petronio Almeida Borges Júnior, empossado em 15 de janeiro último, que resume o sentimento de todos assim: “Estamos diante de uma igreja forte e aguerrida que revelou seu potencial como agencia do reino de Deus em Catu. Mas o trabalho está apenas começando e a responsabilidade é grande. Não há mérito em cumprirmos nosso dever. Mas cremos que a sinergia com o poder do Espírito Santo nos conduzirá em dependência e submissão. Vamos fazer cada vez melhor o que estiver ao nosso alcance esperando que Deus faça o que nos é impossível - a transformação de vidas”.

domingo, 19 de junho de 2011

TODOS QUEREMOS SER JOVENS




O filme 'We All Want to Be Young' é o resultado de diversos estudos realizados pela BOX1824 nos últimos 5 anos. A BOX1824 é uma empresa de pesquisa especializada em tendências de comportamento e consumo.

TEXTO DA LEGENDA:

Todos queremos ser jovens. É atraente. É uma explosão de hormônios. É sexy. Saudável. Bem, talvez não.

Mas, tem mais. Jovens representam novas linguagens e comportamentos. Eles estão influenciando diretamente os hábitos de consumo. Estão posicionados no todo da pirâmide influencia e são aspiração para os mais novos e inspiração para os mais velhos.

A geração jovem de hoje. Conhecida como: Generation Y, G, We, Digital YOUTH, Millennials. Tanto faz. É a maior em números absolutos em uma perspectiva global. E tem alto poder de compra, se comparado ao de seus pais quando eram jovens.
É engraçado porque esse importante papel da juventude atual, tem origem justamente na geração Baby Boomer.

Eles nasceram depois da II Guerra Mundial. Nos anos 40 e 50. Inseguros e impacientes. Eles causaram grandes mudanças. Eles foram a primeira geração a conquistar o direito de ser jovem, inventando o que ficou conhecido com lifestyle jovem. Eles receberam as chaves de casa e a liberdade de ir e vir. Eles tomaram conta dos centros acadêmicos, grandes festivais e ruas. Por causa disso, elee foram chamados de Juventude Libertária.

Vendo de fora, eles pareciam meio loucos, mas o papo de paz e amor, sexo livre e “flower power” continua influenciando o comportamento até hoje. E na verdade, tudo aquilo deve ter sido muito divertido.
E falando em diversão, nós não podemos esquecer a geração X. Nascidos nos anos 60 e 70, eles aproveitaram os direitos conquistados pelos Baby Boommers vivendo em busca de prazer sem culpas.
- A vida passa muito rápido, se você não parar e olhar ao redor de vez em quando, você pode perdê-la.

Inconformados e entusiastas, eles levaram a novas grandes mudanças. Dentro de casa eles eram os donos dos seus quartos e tomaram conta de suas individualidades. Geração X é apaixonada por estereótipos. Influenciada pelo avanço do marketing e da publicidade. Tanto no universo coorporativo, quanto no entretenimento, a Geração X é lembrada como a Juventude Competitiva.

- Não é apenas um trabalho para ele, é uma guerra.
Mas agora é um jogo completamente diferente. Os jovens mudaram as regras novamente. Conhecidos como a primeira Juventude Global.

Millennials não só tem a chave de casa, e do seu quarto, eles também conquistaram o mundo. Sim, acesso total. Determinadas pela internet, suas identidades, transcendem o lugar de onde são: São Francisco, Nova Iorque, Amsterdã, Barcelona.

Isso não está acontecendo por pura coincidência. O consumo globalizado promove conexões estéticas e comportamentais com outros jovens ao redor do mundo. A internet está permitindo que conteúdo pessoal ganhe dimensões estratosféricas, onde tudo pode ser remixado. Em poucos dias, o conteúdo pode se transformar em memes globais na internet. Também alcançando relevância fora da internet.

Obviamente, tudo isso tem consequências. O excesso de informação e possibilidades está fazendo essa jovem geração ter ansiedade crônica. Está se tornando necessário que eles escolham os filtros certos para organizar suas experiências. Com tanto conteúdo e pessoas em suas vidas o medo de se sentirem perdidos na multidão faz com que eles usem uma linguagem hiperbólica para se expressarem.

Nem sempre é fácil entender o que os Millennials  estão dizendo. Isso porque eles desenvolveram um modo não linear de pensar que reflete exatamente a linguagem da internet onde uma infinidade de assuntos podem ser acompanhados ao mesmo tempo.

Para esses Millennials é natural começar com uma coisa e terminar em outra. Mas não entre em pânico, tudo isso é orgânico. Hoje em dia é legal saber e ser várias coisas ao mesmo tempo.

É muito diferente dos anos 80, quando os jovens tinham uma opinião bem radical sobre o poder dos grupos. Você era uma coisa ou outra. Nos anos 90 o poder das tribos já não era algo tão legal de se estar vinculado. Alguns começaram a se chamar de normais, para transitar entre grupos diferentes.

Hoje, ser normal se tornou chato. E ao invés de neutralizar suas diferenças, se tornou legal expressá-las. É possível ser surfista, DJ, roqueiro, nerd, cinéfilo, designer ao mesmo tempo.

Nós estamos falando da geração de jovens mais plural da história. É uma pluralidade que garante que os jovens possam simultaneamente reconhecer-se, mesmo com suas diferenças pessoais. Sua nova e estendida rede resultou em um maior número de relacionamentos pessoais efêmeros.

Também é visível em seu trabalho onde planos de carreira tradicionais e hierárquicos estão perdendo força. Cada vez mais, eles querem unir trabalho com prazer.

Mais isso não acontece pela busca de um lifestyle hedonista. O prazer acontece em breaks programados. Os jovens Millennials são pragmáticos.

Eles também são mais realistas. Seus grandes ídolos não são mais figuras totalmente idealizadas. Mas sim pessoas comuns que realizam pequenos e possíveis sonhos. Que não são utópicos.

Eles são os rostos da nova economia comandada por open source e crowdsourcing. E iniciativas independentes que com o poder da internet podem ter um impacto imensurável.

Essa consciência coletiva é o zeitgeist do futuro levando a um cenário de oportunidades.

Mas não é fácil, o novo sempre intimida. Muitas coisas que não eram imediatamente entendidas no passado são hoje consideradas comportamento natural.

Você pode entender e tomar parte ou sentar confortavelmente e se acomodar.

No final, ser jovem é sexy e divertido. Mas é muito mais do que isso, vem com perguntas e grandes ambições.

Se você acha que já sabe bastante e está em paz com seu espaço no tempo, então parabéns! Você está oficialmente morto.

Mais do que nunca, para entender o mundo é preciso entender esses jovens, que são catalizadores de grandes mudanças.

E há um bônus extra: entender a evolução do mundo é uma busca que pode nos manter jovens para sempre.

sábado, 11 de junho de 2011

PIB EM CATU REALIZA DEBATE SOBRE BIOÉTICA

A PIB CATU realizou no último sábado (04/06) um debate sobre Bioética nas áreas científica, jurídica e teológica. O evento faz parte da implantação do CCL - PÓLO CATU - Curso de Capacitação de Líderes realizado pela OPBB-BA-RMS - Ordem dos Pastores Batistas do Brasil na região metropolitana de Salvador. A PIB CATU é a sede do PÓLO III que abrange Catu, Pojuca e São Sebastião do Passé.
O debate teve a mediação do Pr. Petronio Borges, pastor da igreja e coordenador do pólo, que expôs a visão bíblico-teológica. O tema foi discutido com alunos em potencial e contou com a participação do Dr. Linsmar Dantas, médico gastroenterologista (UFBA), membro da igreja, apresentando a abordagem científica e do Pr. Lourival Azevedo, pastor emérito da PIB CATU, advogado militante (OAB), expondo o ponto de vista jurídico.
A repercussão foi positiva e motivou os presentes a confirmarem suas matrículas no CCL que iniciará suas aulas regulares no dia 09 de julho (sábado - 09/07).
A bioética representa um desafio para a igreja local que deve ter seus líderes preparados para a discussão. pois envolve opiniões divergentes inclusive nas religiões. A Bíblia revela Deus com Senhor absoluto sobre a vida e a morte e estabelecendo limites que o homem não pode ultrapassar. Deus é Criador. O homem é criatura. No entanto, se reconhecemos a beneficência na ciência sobre a saúde, por exemplo, como afirmar a fé diante de avanços que transpõem limites mas trazem benefícios inquestionáveis?
Questões como estas foram discutidas e outros temas serão abordados nos encontros preparatórios do CCL - PÓLO CATU dias 11 e 18 de junho às 15:00 na secretaria da PIB CATU. Aguardamos você. Aguardem novas notícias.