Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

IGREJA E CULTURA - ENTRANHAMENTO

A experiência de pastorear a Primeira Igreja Batista em Catu-BA tem-me permitido (ou exigido) um mergulho em aspectos da cultura nordestina ou um retorno a eles uma vez que minha origem é a zona rural de Itamari-BA.  Catu nasceu agrícola há 144 anos e tornou-se petrolífera a menos de meio século. Mesmo com o êxodo rural impulsionado por essa nova atividade a cidade preserva forte influência do campo. Posso sentir na cosmovisão dos membros da igreja.  O processo de favelização da cidade em decorrência dos problemas de planejamento foi bem retratado em matéria do site Retratos de Catu. Contudo a cidade ainda mantém um perfil mais identificado com a cultura do interior do Nordeste do que outras cidades da Região Metropolitana de Salvador, a exemplo de Camaçari-BA, onde pastoreei até dezembro de 2010 a Igreja Batista Sião.  Nas últimas semanas tenho direcionado algumas leituras sobre a relação entre Evangelho e Cultura e aproveito a época dos festejos juninos, tão característica do Nordeste,…

GRAÇA QUE SALVA E SANTIFICA

Qual deve ser a impressão que uma pessoa de fora do convívio da igreja tem da graça de Deus? O que deve imaginar quando ouve a palavra "santificação". Certamente você já ouviu a expressão “lei dos crentes”. O pensamento por trás destas palavras deve ser: uma lei que passamos a cumprir para alcançarmos a salvação.  A experiência com a graça transmitida pela igreja através de ensinos e práticas parece limitar-se mais a uma separação entre a igreja e o “mundo” (como se a igreja não estivesse no mundo). A preocupação com usos e costumes, moda, cinema, música secular, esporte e lazer na tentativa de deixar clara a diferença entre os "salvos" e os "perdidos".  A leitura do livro É proibido – o que a Bíblia permite e a igreja proíbe, de Ricardo Gondim, publicado pela Mundo Cristão em 1998, permitiu-me consolidar, ainda no período de formação no Seminário algumas convicções sobre o processo que chamamos santificação. Convido-o a revisar comigo alguns pontos do caít…

CANDIDATO DE DEUS?

A leitura dos dois textos devocionais dentro da Campanha “110 dias que impactarão a nação” que abordam especificamente a intercessão pelas autoridades políticas motivaram-me a escrever sobre o tema. O pastor Edvar Gimenes considerou recentemente em seu blog (Orando pela presidenta, seus ministros e secretários) a necessidade de diferenciação entre autoridades e pessoas investidas de autoridade. Ele destaca que o princípio de autoridade ensina que os cargos e funções foram projetados por Deus, seja na família, na igreja, na escola, na cidade, no Estado e defende de forma contundente: “Aqueles que ocupam os espaços onde prevalece o princípio de autoridade estabelecido por Deus, devem ter clareza de que seu papel é agir em favor do povo e não de si mesmos”.  Depois desta provocação inicial decidi revisitar bases bíblicas que sejam suficientes para confirmar este argumento, de que Deus não escolhe, necessariamente, as pessoas que ocuparão os cargos, mas escolheu o principio de autoridade e…