segunda-feira, 2 de abril de 2012

PÁSCOA: CULTURA POPULAR VERSUS ENSINO BÍBLICO



Estamos na Semana da Páscoa, festa que ocupa lugar especial na tradição cristã. Mas, qual é o seu verdadeiro sentido? Como entender os muitos símbolos e rituais seguidos pelas pessoas? Coelho, ovos de chocolate, pão, vinho, peixe, caruru e vatapá, abstinência de carne, autoflagelação, jejuns, queima do Judas... A cultura cristã popular é muito complexa. No entanto, as pessoas perguntam a nossa opinião e convidam-nos para participar. Então, o que fazer?

Precisamos, antes de mais nada, conhecer o ensino bíblico. Para a Bíblia, a Páscoa celebra a morte e a ressurreição de Cristo, a nossa vida e liberdade diante da morte e do pecado. Para celebrar a libertação do cativeiro egípcio, os judeus imolavam um cordeiro e durante uma semana comiam pães sem fermento e ervas amargas, lembrando com isso o dia em que o anjo passou (páscoa significa “passagem”) e, vendo o sangue de cordeiro nas portas, livrou as casas dos seus pais da morte dos primogênitos. “Quando o Senhor passar pela terra para matar os egípcios, verá o sangue na viga superior e nas laterais da porta e passará sobre aquela porta; e não permitirá que o destruidor entre na casa de vocês para matá-los”. (Êxodo 12:23 NVI)

Mas, não somos judeus, somos cristãos. Por isso entendemos que, na última ceia, Jesus deu um novo sentido à tradição judaica, instituindo o memorial da sua morte e ressurreição. O Pão representava agora o corpo moído pelos nossos pecados e o vinho simbolizava o sangue derramado na sua morte sacrificial. Pão e vinho são símbolos e a ceia pascal é um memorial.

Somos cristãos, mas somos também brasileiros. O que fazer com tantos símbolos e rituais diferentes dos ensinados pela Palavra de Deus. Primeiro, nunca esqueça que o comércio usa estas épocas festivas do ano para lucrar em cima do sentimento religioso das pessoas. Segundo, nunca negligencie aos seus familiares, principalmente às crianças, o ensino bíblico da Páscoa. Ofereça à sua família condição para que ela mesma compreenda e critique a cultura popular. Por último, tenha cuidado para não escandalizar ninguém ou entrar em conflitos por causa disso. Participe dos encontros familiares com o coração aberto procurando ser regido pela paz. “Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo; aquele que assim serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens. Por isso, esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua”. (Romanos 14:17-19 NVI)

Aproveite esses dias para meditar na salvação alcançada no sacrifício e na vitória de Cristo. Em Cristo encontramos a verdadeira liberdade. “E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará". (João 8:32 NVI) e a sua ressurreição dentre os mortos é a nossa maior esperança "Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”. (1 Coríntios 15:55-57).