Pular para o conteúdo principal

PRÉDICA NA SOLENIDADE DE POSSE DE PREFEITO, VICE-PREFEITO E VEREADORES DE CATU-BA



Excelentíssimo Senhor Geranilson Dantas Requião, Prefeito do Município de Catu.
Excelentíssimo Senhor Daniel Fernandes Leite, vice-prefeito.
Excelentíssimos Senhores Vereadores representados na pessoa do Senhor Adilson Mota de Araújo presidente desta Casa da Cidadania.
Demais autoridades. 
Senhoras e Senhores.
Dirijo a vossas excelências e a todos os presentes a saudação que se encontra no último versículo da Bíblia, em Apocalipse 22,21 – “A graça do Senhor Jesus seja com todos”. 
A Bíblia, senhoras e senhores, é a única regra de fé e prática do cristão e mesmo aqueles que não professam o cristianismo como religião pessoal a consideram como um livro especial. É o livro mais importante e mais lido no mundo ocidental. Para os cristãos, Ela é recebida por fé como a Palavra de Deus em linguagem humana. Por isso deve ser lida por também com fé. 
Notei, Senhores Prefeito, Vice-Prefeito e Edis, durante esta solenidade, que o juramento de posse dos senhores promete lealdade à democracia. Esta nação brasileira nasceu cristã. Mas foram os cristãos protestantes, conhecidos como “bíblias” que influenciaram decisivamente a transição do Brasil da Monarquia para a República. De modo que se hoje os senhores podem jurar pela democracia estão assumindo indiretamente um compromisso com a Bíblia. 
A Bíblia nos orienta sobre o dever de reconhecer e respeitar as autoridades constituídas pelo princípio de instituição divina. Deus governa soberanamente o universo bem como nossas vidas e na compreensão de Paulo Apóstolo, “Toda a alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus”. Devemos compreender este texto na perspectiva da submissão, estar abaixo da missão confiada. As autoridades receberam uma missão divina e, por isso, submetemo-nos a elas por submissão a Deus. 
Qual a missão confiada por Deus aos poderes executivo e legislativo bem assim às demais funções políticas do Município? Os senhores mesmos responderam: fazer cumprir a constituição democrática ou, em outras palavras, zelar pela democracia. Ora, se democracia é, como se ouve popularmente: “o governo do povo, pelo povo e para o povo”, a única verdadeira autoridade constituída por Deus e empossada nesta noite é o povo catuense que confiou os mandatos populares assegurados pela Constituição Federal, os quais os senhores assumem como mandatários a partir de hoje. 
Então, mais uma vez perguntamos, qual será a missão confiada por Deus aos representantes do povo catuense para este mandato? O profeta Miqueias, um dos doze profetas menores do Antigo Testamento, que foi “boca de Deus” no meio dos israelitas mais de seis séculos antes de Cristo responde: “Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o SENHOR pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus?” (Miquéias 6,8). Este profeta, que censurou duramente governantes e também religiosos de sua época, diante da corrupção e da violência, ainda fala nesta noite. 
Neste texto, a Bíblia se apresenta como um mapa para que os poderes executivo e legislativo em nosso município alcance o que foi prometido nesta solenidade, conduzindo-nos na prática da democracia. Esse ideal exigirá de todos nós trilharmos o caminha da justiça, da misericórdia e da humildade. 
Primeiro, diz o profeta: “pratiquem a justiça”. Justiça, no contexto histórico-social de Miqueias significava respeitar os direitos. Esta é a nossa esperança neste momento, que os senhores respeitem, e além disso, defendam os direitos da população de Catu conforme preceitua a Carta Magna da nossa nação. Assim será superado o sentimento de Rui Barbosa, um dos homens públicos mais influentes da nossa história, que também está em coração hoje: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”. O sentimento deste conhecido jurista e político baiano lamentavelmente persiste em vigorar mais de um século depois. 
Em segundo lugar, o profeta Miquéias declara: “amem a misericórdia”. No contexto linguístico do livro a palavra amor traz o sentido de dedicação. Dediquem-se à misericórdia. No latim, a palavra misericórdia é um composto de duas outras: miséria e coração, um coração que se inclina pela miséria. É assim que Deus nos trata em nossa miserabilidade. E nossa oração é que o coração dos senhores se inclinem por aqueles que enfrentam condições desumanas em nossa cidade. 
Por fim, ouvimos o profeta dizer: “andes humildemente com o teu Deus”. Humildade está relacionada como homem. As palavras possuem a mesma etimologia, humus, que significa ‘terra’. Humilde é "o que fica no chão, que não se ergue”. Homem é “criatura nascida da terra”. Só é possível caminhar com Deus reconhecendo que somos pó e que Ele é Criador. Em Jesus Cristo, Ele se revela Deus conosco, que assume nossa humanidade como exemplo de humildade. 
O que Deus espera dos senhores mandatários é que o mandato confiado pelo povo seja exercido com justiça, com misericórdia e com humildade. É o que Deus espera de todos nós. 

Que Deus seja glorificado! 

Fiquemos de pé e oremos para que Deus use as vidas dos empossados nesta noite para que nossa cidade viva um tempo marcado pela justiça, pela misericórdia e pela humildade. Amém!

Postagens mais visitadas deste blog

CONVITE PARA POSSE

SITES SOBRE TEOLOGIA E PESQUISA BÍBLICA