segunda-feira, 30 de maio de 2016

CHAMADO PARA SER UMA BÊNÇÃO

"Então o Senhor disse a Abrão: "Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei. "Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção". (Gênesis 12:1,2)

Abraão foi chamado por Deus para ser o "pai da fé", a pessoa pela qual Deus constituiu o seu povo na terra e através de quem a salvação em Cristo tornou-se uma realidade a linha do tempo. O patriarca desenvolveu um relacionamento pessoal a partir do qual recebeu direção para a caminhada e promessas para a sua descendência. O seu caráter foi provado. Ele aprendeu a viver de fé em fé. Em Cristo o povo de Deus é chamado à santidade, a viver pela fé tendo o caráter transformado, sendo provado e testemunhando a sua providência. É assim que nos tornamos uma bênção. Uma vida de santidade é uma vida abençoada. Todo crente tem um chamado à santidade. Aprende a viver de maneira agradável a ele e não mais se conforma aos padrões mundanos. Diante da luz da santidade divina até mesmo aspectos que parecem qualidades podem revelar-se como defeitos. O cauteloso pode revelar-se incrédulo e mentiroso. O pacificador e leal no momento de crise mostra-se procrastinador e indolente. De paciente passa-se a passivo, indeciso e negligente. Mas o único Deus vivo e verdadeiro não suporta meias verdades nem o "ser interior" dividido. Muitos erros provocados por falhas em nosso caráter terão que ser administrados. Isso faz parte do nosso crescimento em santidade para nos tornarmos uma bênção.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

ANDANDO COM DEUS

"Estas são as gerações de Noé. Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus". (Gênesis 6:9)

Noé caminhou por fé amando e obedecendo a Deus com sinceridade por toda a sua vida. Ele refletiu a perfeição de Deus e tornou-se um exemplo de integridade e justiça para sua geração. O alvo da pessoa integra não é necessariamente a impecabilidade, mas o desenvolvimento do caráter em todas as áreas, diante da lei, da moral, mas sobretudo da busca por espelhar a presença de Deus no mundo. Mesmo vivendo cercado de maldade e violência, ele fez da comunhão com Deus um estilo de vida que mostrou a alternativa certa para a corrupção generalizada da sua época. Para o cristão, integridade é o resultado da união espiritual com Cristo. A abertura do 'ser interior' para que a presença perfeita e poderosa do Espírito de Cristo se manifeste em justiça e santidade na vida diária. Uma vida preenchida por Cristo é uma vida completa. O relacionamento com Deus, consigo mesmo, com o próximo e com a criação são integrados de tal forma que as exigências da lei e da moral são satisfeitas e superadas, uma vez que além do que se exige externamente, ainda é possível desfrutar de paz e alegria duradouras. Nesse tempo de crise ética e esfriamento do amor, torna-se cada vez mais urgente que cada cristão assuma o estilo de vida de Noé, marcado pela dependência de Deus para sinalizar ao mundo a esperança da glória futura, quando seremos libertos finalmente do mal em todas as suas manifestações. E enquanto espera, segue andando com Deus, anunciando e praticando a justiça.

terça-feira, 24 de maio de 2016

CULTO AGRADÁVEL AO SENHOR

"Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho. O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta". (Gênesis 4:4)

O culto prestado por Abel é o primeiro registrado na Bíblia. Em todo o Antigo Testamento estabelece -se o princípio da centralidade de Deus na adoração. Esta característica é continuada e intensificada no Novo Testamento. A formação do povo de Israel na adoração mostra que o caminho proposto por Deus é o da integralidade partindo da devoção pessoal para a celebração pública, do secreto do quarto para a festa da comunidade. A vida do adorador condicionará a qualidade do culto. O sacrifício oferecido por Abel prefigura a obra de Cristo que apresentou sua vida como oferta pelo pecado do homem para reconciliá-lo com o Pai. A partir da perfeição do sacrifício de Cristo, o cristão pode adorar. Cristo habita no crente e sua presença perfeita permite que Deus aceite o culto integral da vida que se expressa liturgicamente na comunhão de adoradores. A vida é aceita em Cristo e, por isso, o culto torna-se agradável a Deus. Toda oportunidade de adoração coletiva deve servir para uma avaliação interior da qualidade do culto prestado através dos nossos pensamentos, palavras, ações e atitudes. Deus dirige seu olhar para o todo: adorador-adoração. Ele busca adoradores que o conheçam e sejam sinceros. Mas, o que parece complexo e inatingível se resolve na simplicidade da vida "em Cristo". Sabendo que Cristo é o sacerdote, a oferta, o altar, o templo e o próprio Deus, vivendo nEle estaremos sempre comprometidos com o culto integral e agradável.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

A CERTEZA DA VITÓRIA

"Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar" (Gênesis 3:15)

Essas palavras, dirigidas a Satanás, chamadas de Proto-Evangelho, declaram que a vitória da humanidade sobre o Diabo seria realizada na cruz, quando Cristo, a semente da mulher, esmagaria a cabeça da Serpente. A esperança da redenção acompanha o gênero humano desde a criação e perpassa pela luta prolongada contra o mal, em todas as suas manifestações, ao longo da história. Mas, a ferida no calcanhar fez com que os servos de Deus tropeçassem. A inimizade do Diabo trouxe aflição aos peregrinos da fé. Com isso Satanás quis desviar o povo de Deus do caminho de vitória sobre a maldade e a morte. A certeza da vitória final alimentou cada crente ao longo dos séculos. Quando Jesus declarou: "Está consumado!", esta certeza abriu a possibilidade para um estilo de vida marcado pela liberdade diante do poder do maligno. A igreja pode desfrutar de uma vida vitoriosa sobre o pecado e toda forma de maldade. Ela pode prosseguir em sua marcha para a eternidade convicta de que as aflições e tentações às quais está exposta não serão capazes de desviá-la da rota. Cristo venceu. Sua vitória é nossa. Venceremos.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

VIDA - GRUPO TAUATÓ




VIDA - GRUPO TAUATÓ
Flávio Regis/Jader Gudin

É tão lindo
o sol nascendo
Na paisagem da minha janela

Iluminando,
dando cor à vida
Acariciando a perfumada flor.

E do silêncio
uma suave brisa
A doce música da criação

Ao mesmo tom
preenchendo a sinfonia
Um passarinho a procurar o pão

Olhai, quanta perfeição
Meu Pai, vem das tuas mãos

Toda vida manifesta o teu poder
Grande paz irá permanecer

Olhou,
viu que era bom.

terça-feira, 17 de maio de 2016

INTERAÇÃO HOMEM-MULHER

“Então o Senhor Deus declarou: "Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda” (Gênesis 2:18)

A existência humana não seria completa e agradável se a pessoa humana fosse composta apenas do "masculino". Por isso, foi criada uma “ajudadora” (Salmo 20:2), ajuda misericordiosa de Deus para a humanidade. Esta ajuda deveria estar à altura, “como que diante”, como sua imagem no espelho, “idônea”. A ajuda seria “carne da minha carne e osso dos meus ossos” retirada do “lado”, o elemento físico seria idêntico e o psicológico equivalente. O homem vê sua imagem na mulher. Deus vê sua imagem na interação entre homem e mulher. Deus superior ao homem; o homem igual à mulher. Com a criação de ambos em equivalência física, intelectual e social estavam lançadas as bases da instituição do casamento heterossexual, monogâmico e indissolúvel. A interação homem-mulher expressa adequadamente a glória de Deus. Homem e mulher juntos em uma relação de complementariedade formam a base da família. Em Cristo a discriminação e toda forma de violência física ou simbólica entre homem e mulher é destruída e a vida na graça se torna possível. Na criação foi superada a ameaça da solidão. Na redenção foi superada a tragédia da separação. A diferença é boa e rica. A partir dela é possível construir um relacionamento conjugal baseado em humildade e criatividade. Viva a diferença!

sexta-feira, 13 de maio de 2016

A PALAVRA CRIADORA

“No princípio Deus criou os céus e a terra” (Gênesis 1:1)

A Bíblia começa com a afirmação de que a vida é resultado da vontade criadora e criativa de Deus. Deus é eterno, existe além do tempo e do espaço, não teve começo. Sempre existiu em glória sublime. Ele está no início de tudo; é a origem e a fonte de toda a vida. Tudo que existe deve sua essência a Deus. Ele é Deus criador e sustentador do Universo. Criou tudo a partir do nada, talhando no caos a beleza do cosmos. Trabalhou na criação para que ela o revelasse. Criou tudo com um propósito. O mundo é criação de Deus e, portanto, está sujeito à sua vontade. Jesus é a Palavra criadora que se tornou um ser humano para revelar plenamente o ser de Deus. Sendo o próprio Deus que veio aos homens para salvá-los ele mostrou a todos como é viver a vontade do Pai. Você se submete à vontade soberana do Deus criador? Inicie cada dia em Deus e sua Palavra. Comece cada nova caminhada com Ele. Todo projeto de vida deve ter origem no Deus que dá vida a tudo.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

CRISE TEMERÁRIA

A partir de hoje e por até seis meses o Brasil passa a ter dois presidentes. Enquanto Dilma desce a rampa do Planalto para defender-se no processo instaurado pelo Senado, Temer troca a cadeira de vice pela posição histórica de presidente não-eleito. Temer não é a solução para a crise porque a crise é temerária. Ele foi o principal operador da oposição para aproveitar a perda gradativa de apoio politico do governo Dilma. Para tanto aliou-se a Eduardo Cunha, afastado da presidência da Câmara por ser réu no Supremo Tribunal Federal e a Aécio Neves, investigado pela Operação Lava-Jato. Se o objetivo de Temer era oferecer o mínimo de previsibilidade econômica ao mercado financeiro diante do caos econômico gerado pelos governos petistas, ele não conseguiu dar sinais de que o seu governo paralelo ou tampão será diferente. Os partidos aliados não permitirão que os notáveis atravessem a ponte para o futuro. A crise econômica tem um fundo político e a corrupção generalizada é a causa original da instabilidade que coloca em risco tanto o setor público quanto o privado. Essa corrupção é política mas também empresarial. E o próprio Temer foi citado na Lava-Jato por suspeita de corrupção além de ter um pedido de impeachment análogo ao de Dilma com determinação liminar do Supremo para ser apreciado na Câmara. Temer será um presidente provisório sem a legitimidade do voto que igualmente dependerá de uma coalizão fisiológica a ser formada com a mesma fragmentação política ante a qual o PT sucumbiu. O seu alardeado projeto ético e técnico com medidas de austeridade e eficiência já nasceu comprometido pelo próprio histórico clientelista de uma base com dez partidos além dos nanicos. Para superar essa crise o Brasil não deve temer; precisa cobrar a antecipação das eleições presidenciais e deixar manifesto o inconformismo tanto com a corrupção do PT quanto com o governo temerário que o substituiu.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

AMADOS POR DEUS

"No entanto, o Senhor se afeiçoou aos seus antepassados e os amou, e a vocês, descendentes deles, escolheu entre todas as nações, como hoje se vê" (Deuteronômio 10:15 - NVI)

Moisés está falando da eleição do povo no momento em que Deus restaurava o Pacto do Sinai. Deus escolheu Israel porque o amava, e, por causa desse amor, entrou em aliança com ele, a fim de ser seu Deus e de abençoá-lo. Verdadeiro temor e verdadeiro amor são complementares e inseparáveis. São a resposta de um coração sincero diante da majestade e bondade de Deus, respectivamente, e juntos produzem serviço dedicado e obediência a toda a boa vontade de Deus. Devemos lançar fora todas as afeições e inclinações corruptas, que nos impedem de temer e amar a Deus. Por natureza, nós não amamos a Deus. Este é o pecado original, a fonte de onde nossa maldade é produzida. O impulso natural da natureza pecaminosa é a inimizade contra Deus, por não estar sujeita à Lei de Deus. Mas Deus nos reconciliou em Jesus Cristo para que possamos amar, servir e obedecer-lhe de modo aceitável. Diariamente Sua imagem vai sendo restaurada, de glória em glória, pela presença e atuação do Espírito. Que Deus seja o motivo do nosso louvor. Ele decidiu nos amar, mesmo sem merecermos. Revelou sua vontade na vida e ministério de Jesus, que morreu por nós. Por isso, podemos amar.

sábado, 7 de maio de 2016

É NELE! - STÊNIO MARCIUS




É nEle que que nos movemos
Vivemos e existimos
É nEle, é nEle
Se amo, falo, choro ou canto
É nEle que tudo acontece
É nEle, é nEle

Batidas do meu coração
Dependem desse Maestro
E até o ar que eu respiro
É Ele mesmo quem me dá

Em volta da mesa com os meus
Celebro com vinho a vida
É Ele quem dá gosto a tudo
Com Ele a alegria sempre está.

É nEle que eu descanso
Pois sei em Quem tenho crido
É nEle, é nEle
Fui salvo por Sua graça
Eu trago comigo esta glória
É nEle, é nEle

Arrasto por onde vou
Correntes de amor eterno
E grito ao universo inteiro 
Quem d'Ele vai me separar?
Silêncio na terra e no mar
Silêncio nos mundos distantes
Pois nada me arranca dos braços 
Daquele que me amou primeiro!

sexta-feira, 6 de maio de 2016

CUIDADO COM O FERMENTO!

"Não está certo que vocês estejam orgulhosos! Vocês conhecem aquele ditado: “Um pouco de fermento fermenta toda a massa. Joguem fora o velho fermento do pecado para ficarem completamente puros. Aí vocês serão como massa nova e sem fermento, como vocês, de fato, já são. Porque a nossa Festa da Páscoa está pronta, agora que Cristo, o nosso Cordeiro da Páscoa, já foi oferecido em sacrifício. ” (1 Coríntios 5:6-7 - NTLH)


Fermento tem o sentido metafórico de corrupção em sua tendência de infectar. É um símbolo da natureza humana corruptível aplicado àquilo que, mesmo em pequena quantidade, pela sua influência, contamina o todo. Paulo adverte os coríntios a que agissem drasticamente jogando fora todo orgulho e malícia buscando viver exclusivamente a verdade de Cristo. No contexto imediato, essa atitude os levaria ao extremo de afastar do convívio quem assumira um estilo de vida degenerado. Depois de removida essa contaminação a comunidade poderia celebrar a nova vida marcada pela sinceridade, na luz revelada pelo Senhor. A purificação diária na vida do discípulo de Cristo se dá naturalmente pelo preenchimento da vida com o que Ele pensa, diz e faz. Somente a vida de Jesus, que nunca foi contaminada, pode purificar nosso ser. A advertência para abandonar o pecado passa a fazer sentido para quem decidiu radicalmente viver separado para Deus. Quem resiste ou desiste de seguir a Cristo e adota um estilo de vida pecaminoso se torna uma porta de infecção para todo o corpo. A tolerância diante do pecado permite sua influência na vida de toda a igreja. O pecado de um afeta a vida espiritual de todos. Graças a Deus que o sacrifício de Jesus, como cordeiro sem contaminação, nos permite celebrar a esperança de uma vida livre do pecado.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

EVITANDO A CARNALIDADE

"Dei-lhes leite, e não alimento sólido, pois vocês não estavam em condições de recebê-lo. De fato, vocês ainda não estão em condições, porque ainda são carnais. Porque, visto que há inveja e divisão entre vocês, não estão sendo carnais e agindo como mundanos?" (1 Coríntios 3:2,3).

Cristãos podem ser mestres em conhecimento doutrinário, mas ainda infantis na experiência de vida e nos relacionamentos. Uma evidência desse retardo no crescimento é a atitude contenciosa que leva a disputas religiosas, demonstrando carnalidade e mundanismo. Muitos ainda não evoluíram do "leite", ensino elementar, para o "alimento sólido", conhecimento mais profundo, vivencial. O apóstolo Paulo repreendeu os coríntios por causa da sua imaturidade manifesta nas divisões internas da igreja e ensinou que o crescimento da mesma depende de Deus e não dos homens. As dissensões são uma evidência do espírito mundano, pois crentes imaturos comportam-se como homens naturais. Pensam segundo os padrões humanos de comparação, mas aparentam uma iluminação espiritual superior. Crentes carnais são aqueles que não veem a glória de Deus nem consideram o bem do próximo. Para afirmar a sua missão no mundo a igreja de Cristo deve superar o padrão mundano de sentir e pensar. O desafio é viver a maturidade nos relacionamentos. Uma igreja madura é composta por crentes espirituais que tem seu único fundamento em Cristo, buscam crescer espiritualmente crendo que Deus dá o crescimento, evitam a carnalidade.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

APRENDENDO A OUVIR DEUS

"Depois do terremoto houve um fogo, mas o Senhor não estava nele. E depois do fogo houve o murmúrio de uma brisa suave. Quando Elias ouviu, puxou a capa para cobrir o rosto, saiu e ficou à entrada da caverna. E uma voz lhe perguntou: "O que você está fazendo aqui, Elias? " (1 Reis 19:12,13)

Depois de derrotar os profetas de Baal de forma pública e violenta, Elias fugiu para o deserto com medo da rainha Jezabel. Na solidão do Sinai, onde Deus havia estabelecido seu pacto com o povo escolhido, Elias foi repreendido e instruído. Aprendeu que Deus é poderoso, mas sabe ser suave. Em momentos de tensão e angústia a voz divina sussurra uma melodia. O trabalho mais pesado é feito no íntimo para destruir a raiz de toda idolatria que é o orgulho. Isso mostra por que a fé vem pelo ouvir. Elias, um homem de ação, aprende com o silêncio o caminho para restaurar a Lei e vencer a idolatria em Israel. A vida em Cristo é uma experiência que começa no íntimo, de dentro para fora. O nosso relacionamento com Jesus é construído na intimidade. Com essa visão descobrimos que o medo e a angústia podem até ser sufocados pelo ativismo ou aparência, mas Ele nos conhece em essência e quer nos transformar para revelarmos a sua glória no mundo. Somente quanto aprendemos a ouvir sua voz meiga, que associa autoridade e misericórdia, podemos vencer os ídolos. A luta por manter uma reputação religiosa admirável parece menos exigente do que o confronto com a voz divina que revela as contradições interiores. Deus prioriza a mudança do ser e sua voz é sempre um método inconfundível. Basta nos encontrarmos no lugar certo, a sua presença. Ali Ele nos falará e saberemos o que fazer.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

ADVERTÊNCIA CONTRA A PRESUNÇÃO

"Portanto, esteja certo de que não é por causa de sua justiça que o Senhor seu Deus lhe dá esta boa terra para dela tomar posse, pois você é um povo obstinado" (Deuteronômio 9:6).

Moisés lembrou da crueldade e do poderio bélico das nações inimigas que Israel estava por encontrar em Canaã e afirma que a vitória estaria assegurada pela presença de Deus. Ele adverte contra a presunção de justiça própria. A mão de Deus faria tudo sem considerar mérito algum do povo. Essa repetição da mesma informação tinha o objetivo de inculcar na mente do povo uma compreensão correta de si bem como uma visão do poder e da glória devida exclusivamente a Deus. Cristo é tanto a justiça quanto a força suficiente para a vida cristã. Quem pensa que pode chegar ao céu pelos próprios méritos ainda é ignorante de si, do seu pecado e condenação. Jesus cumpriu a Lei completamente, preenchendo todas as suas exigências a ponto de não permitir que ninguém o acusasse de qualquer pecado. Ele nos batizou no Espírito da Verdade que, em união com o nosso espírito, a partir do íntimo, nos ensina o caminho da justiça. Mas, quem tem o "pescoço duro" precisa de disciplina para aprender a direção da vida. Quanto temos sido teimosos e resistentes em aceitar que não será pelo nosso esforço que a glória de Deus se revelará! Precisamos pedir que o Espírito Santo transforme o coração duro e indócil, reconhecendo que nossa justiça vem do relacionamento com Jesus e que a obediência é a única forma de cooperar com a sua presença perfeita e poderosa em nós.