segunda-feira, 7 de novembro de 2016

TEMPO DE MUDANÇA

Depois de um período dedicado a oração, conversas com a família e reuniões com a PIB em Catu-BA decidimos aceitar o convite da PIB em Divinópolis-MG para compor o colegiado ministerial como pastor auxiliar na área de formação cristã. Entendemos que o ciclo ministerial se cumpriu na PIB em Catu-BA e que Deus está conduzindo nossa família para um novo formato de ministério.
Temos recebido muito carinho neste momento e sabemos que é fruto de um relacionamento de amor e serviço ao longo dos últimos seis anos. Agradecemos pela oportunidade de servir, pelo apoio no trabalho, pelo cuidado nos momentos difíceis, pelo carinho com a família.
Deus também nos agraciou com o privilégio de servir ao lado de outros pastores. Aprendemos com o Pr. Lourival Bastos, pastor-emérito. Agradecemos ao Pr. Rogério Souza por ter estado ao lado no início dessa caminhada. E destacamos a amizade do Pr. Jean Santos e Fabiana que tornaram o ministério uma experiência rica e agradável. A permanência deles na igreja fortaleceu a paz em nosso coração.
Continuaremos servindo no ministério da PIB em Catu-BA até 31/12. O culto de ação de graças pelo pastorado está marcado para 17/12 (sábado). Ficaremos muito alegres com a presença dos amigos naquele dia de gratidão a Deus e a todos que fazem parte desta história.


Pr. Petronio Borges, Anamaria, Mariana e Poliana.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

CIDADÃO CATUENSE - DISCURSO DE AGRADECIMENTO


Excelentíssimo Senhor Marinildo Alves Vasconcelos, presidente da Câmara Municipal de Catu-Ba, em nome de quem cumprimento os demais vereadores.
Excelentíssimo Senhor Geranilson Requião, prefeito da cidade de Catu-Ba, que completa hoje 148 anos de emancipação política.

Demais autoridades presentes ou representadas.

Dirijo meu agradecimento primeiramente a Deus, a quem é devida toda honra e louvor, para sempre, pois somente Ele é perfeito e poderoso, e apesar da glória que lhe é devida, se digna em escolher, no meio do seu povo, servos a quem concede o privilégio de ministrar a sua Santa Palavra.

Agradeço ao Vereador Eneias Medeiros, proponente do meu nome para receber o título que hoje me é outorgado por esta Casa bem como a todos os vereadores por terem aprovado a proposta. Como membro da Primeira Igreja Batista em Catu, o irmão Enéias, juntamente com seu pai, irmão Eliseu Medeiros, certamente teve sua generosidade motivada por conhecer o ministério da igreja e saber que foi como seu pastor que estabeleci o meu vínculo com o município e que se não fosse pelo pastorado nela exercido, dificilmente seria alvo deste reconhecimento.

Receber o título de “Cidadão Catuense” é motivo de alegria e honra. No entanto, como cidadão comum, que apenas procura cumprir seus compromissos e viver com dignidade, não estou nem um palmo sequer acima do valor pessoal de cada um aqui. Não tenho laços de sangue nem sobrenome tradicional. Sem nenhuma falsa modéstia, o mérito não está na pessoa e sim no ministério.

Foi pela vocação divina para o Santo Ministério da Palavra que cheguei na cidade para pastorear a PIBCATU. A PIBCATU foi a primeira igreja protestante a ser plantada da cidade, fato que já foi reconhecido oficialmente pelo poder legislativo local. Esse pioneirismo acompanhado da fidelidade histórica aos princípios de sua fundação permite que aquele que a pastoreie, ganhe destaque na vida social do município

Vejo nesta oportunidade uma coincidência que preciso registrar. Minha ordenação ao ministério pastoral também se deu em um mês de junho (21), no ano de 2003. Comemorei também nesta semana treze (13) anos como pastor formalmente ordenado.

Nasci na cidade de Gandu-Ba, sou ganduense de nascimento. Vive em Itamari-Ba até os quatorze (14) anos, mas não sou itamariense. Mudei-me para Jaguaquara-Ba estudar, casei-me com uma jaguaquarense, mas não me tornei cidadão daquela cidade. De lá fui enviado ao Seminário em Feira de Santana-Ba, mas não sou feirense. Depois de formado, morei em Camaçari-Ba para iniciar o ministério, mão não sou camaçariense. Agora, sou reconhecido como “cidadão catuense”.

Cheguei em Catu-Ba no dia 03/01/2011 depois de tomar posse, em 19/12/2010, como presidente da Primeira Igreja Batista em Catu, mantenedora do Colégio Batista de Catu. A PIBCATU completará no próximo dia 29 deste mês, outra coincidência digna de nota, seus 93 anos, comprometida com o ensino da Bíblia, fervorosa na obra missionária e relevante socialmente.

Transfiro a cada membro e congregado da PIBCATU esta homenagem por considerar que é Deus, o Supremo Pastor do seu povo, quem dá pastores segundo o seu coração. Em Jeremias 3:15, lemos: “e vos darei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência”.

O pastorado deve ser exercido com “ciência e inteligência”. Ciência é conhecimento adquirido com esforço. Inteligência pode ser sinônimo de sabedoria. Um pastor recebe sabedoria de Deus, mas desenvolve seu conhecimento através da busca pessoal. Gosto de pensar que o pastor precisa pastorear “com ciência” e também deve ter consciência. Consciência de Deus e de si, consciência da missão pastoral. Creio que a função pastoral é a única capaz de cuidar do ser humano em sua integralidade, derivando daí sua importância para a comunidade. Procuro ter esta consciência diante da homenagem que recebo desta Casa de Leis.

Ao finalizar, destaco a importância da família tanto na minha vida como no ministério que desempenho.

Agradeço a minha esposa, Anamaria, que neste momento está cuidando na nossa segunda filha, Poliana, com apenas 16 dias.

Agradeço à nossa primeira filha, Mariana, cujo brilhos nos olhos é um sinal diário da graça de Deus em nossa família.

Agradeço aos meus pais, Petronio e ‘Nide’, pelo amor e dedicação em todo o tempo, sendo uma prova do cuidado de Deus para comigo.

Agradeço às ovelhas, aos amigos.

Agradeço a todos os presentes,

Deus continue abençoando cada um de vocês.

Muito obrigado.

sábado, 25 de junho de 2016

TÍTULO DE CIDADÃO CATUENSE


Ao tempo em que agradeço pela homenagem a mim concedida pela Câmara Municipal de Catu-Ba, atribuo automaticamente a honra do título recebido à Primeira Igreja Batista.
O meu vínculo com a cidade se estabeleceu a partir da posse no pastorado da igreja e a oportunidade de exercer nela minha vocação permitiu que tão cedo, menos de seis (06) anos, me fosse outorgado.
A PIBCATU, como primeira igreja protestante do município bem como sua penetração na vida social da cidade através da presença de seus membros em diversos seguimentos, leva o seu ministério pastoral ao reconhecimento da sociedade local.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

A IMPORTÂNCIA DE SONHAR

"Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais". (Gênesis 37:5)

Os sonhos tiveram uma importância essencial na vida de José do Egito. Mas os filhos de Jacó ficaram furiosos quando seu irmão mais novo anunciou que governaria sobre a família. Ele já havia sido favorecido pelo pai como um príncipe. Agora, seus irmãos estavam prontos para explodir de inveja e ódio assassino por tamanha audácia do menino. Mas aquela atitude poderia ser apenas fruto de imaturidade adolescente diante da providência divina. Sonho é o desejo de ter ou realizar, projetar um futuro melhor. Mas a visão de um futuro preferível, uma perspectiva de avanço pessoal, sempre gera algum tipo de oposição. Quem sonha torna-se alvo de inveja, ódio e até violência. Nem por isso deve deixar de sonhar. O mais importante é avaliar a motivação, se o projeto de vida almejado não é um reflexo da cultura de prosperidade e prazer, preso a uma competição irracional diante de um mundo regido pelo desempenho, a resposta social e os resultados materiais. Quem sonha orientado por Deus não deseja o que todos querem. Deus tem planos para nós e devemos submeter nossos sonhos ao que Deus planejou crendo em sua providência e confiando na promessa de que não estaremos sozinhos no caminho para realizar. Quando o sonho é aprovado a realização é dele.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

CHAMADO PARA SER UMA BÊNÇÃO

"Então o Senhor disse a Abrão: "Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei. "Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção". (Gênesis 12:1,2)

Abraão foi chamado por Deus para ser o "pai da fé", a pessoa pela qual Deus constituiu o seu povo na terra e através de quem a salvação em Cristo tornou-se uma realidade a linha do tempo. O patriarca desenvolveu um relacionamento pessoal a partir do qual recebeu direção para a caminhada e promessas para a sua descendência. O seu caráter foi provado. Ele aprendeu a viver de fé em fé. Em Cristo o povo de Deus é chamado à santidade, a viver pela fé tendo o caráter transformado, sendo provado e testemunhando a sua providência. É assim que nos tornamos uma bênção. Uma vida de santidade é uma vida abençoada. Todo crente tem um chamado à santidade. Aprende a viver de maneira agradável a ele e não mais se conforma aos padrões mundanos. Diante da luz da santidade divina até mesmo aspectos que parecem qualidades podem revelar-se como defeitos. O cauteloso pode revelar-se incrédulo e mentiroso. O pacificador e leal no momento de crise mostra-se procrastinador e indolente. De paciente passa-se a passivo, indeciso e negligente. Mas o único Deus vivo e verdadeiro não suporta meias verdades nem o "ser interior" dividido. Muitos erros provocados por falhas em nosso caráter terão que ser administrados. Isso faz parte do nosso crescimento em santidade para nos tornarmos uma bênção.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

ANDANDO COM DEUS

"Estas são as gerações de Noé. Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus". (Gênesis 6:9)

Noé caminhou por fé amando e obedecendo a Deus com sinceridade por toda a sua vida. Ele refletiu a perfeição de Deus e tornou-se um exemplo de integridade e justiça para sua geração. O alvo da pessoa integra não é necessariamente a impecabilidade, mas o desenvolvimento do caráter em todas as áreas, diante da lei, da moral, mas sobretudo da busca por espelhar a presença de Deus no mundo. Mesmo vivendo cercado de maldade e violência, ele fez da comunhão com Deus um estilo de vida que mostrou a alternativa certa para a corrupção generalizada da sua época. Para o cristão, integridade é o resultado da união espiritual com Cristo. A abertura do 'ser interior' para que a presença perfeita e poderosa do Espírito de Cristo se manifeste em justiça e santidade na vida diária. Uma vida preenchida por Cristo é uma vida completa. O relacionamento com Deus, consigo mesmo, com o próximo e com a criação são integrados de tal forma que as exigências da lei e da moral são satisfeitas e superadas, uma vez que além do que se exige externamente, ainda é possível desfrutar de paz e alegria duradouras. Nesse tempo de crise ética e esfriamento do amor, torna-se cada vez mais urgente que cada cristão assuma o estilo de vida de Noé, marcado pela dependência de Deus para sinalizar ao mundo a esperança da glória futura, quando seremos libertos finalmente do mal em todas as suas manifestações. E enquanto espera, segue andando com Deus, anunciando e praticando a justiça.

terça-feira, 24 de maio de 2016

CULTO AGRADÁVEL AO SENHOR

"Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho. O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta". (Gênesis 4:4)

O culto prestado por Abel é o primeiro registrado na Bíblia. Em todo o Antigo Testamento estabelece -se o princípio da centralidade de Deus na adoração. Esta característica é continuada e intensificada no Novo Testamento. A formação do povo de Israel na adoração mostra que o caminho proposto por Deus é o da integralidade partindo da devoção pessoal para a celebração pública, do secreto do quarto para a festa da comunidade. A vida do adorador condicionará a qualidade do culto. O sacrifício oferecido por Abel prefigura a obra de Cristo que apresentou sua vida como oferta pelo pecado do homem para reconciliá-lo com o Pai. A partir da perfeição do sacrifício de Cristo, o cristão pode adorar. Cristo habita no crente e sua presença perfeita permite que Deus aceite o culto integral da vida que se expressa liturgicamente na comunhão de adoradores. A vida é aceita em Cristo e, por isso, o culto torna-se agradável a Deus. Toda oportunidade de adoração coletiva deve servir para uma avaliação interior da qualidade do culto prestado através dos nossos pensamentos, palavras, ações e atitudes. Deus dirige seu olhar para o todo: adorador-adoração. Ele busca adoradores que o conheçam e sejam sinceros. Mas, o que parece complexo e inatingível se resolve na simplicidade da vida "em Cristo". Sabendo que Cristo é o sacerdote, a oferta, o altar, o templo e o próprio Deus, vivendo nEle estaremos sempre comprometidos com o culto integral e agradável.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

A CERTEZA DA VITÓRIA

"Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar" (Gênesis 3:15)

Essas palavras, dirigidas a Satanás, chamadas de Proto-Evangelho, declaram que a vitória da humanidade sobre o Diabo seria realizada na cruz, quando Cristo, a semente da mulher, esmagaria a cabeça da Serpente. A esperança da redenção acompanha o gênero humano desde a criação e perpassa pela luta prolongada contra o mal, em todas as suas manifestações, ao longo da história. Mas, a ferida no calcanhar fez com que os servos de Deus tropeçassem. A inimizade do Diabo trouxe aflição aos peregrinos da fé. Com isso Satanás quis desviar o povo de Deus do caminho de vitória sobre a maldade e a morte. A certeza da vitória final alimentou cada crente ao longo dos séculos. Quando Jesus declarou: "Está consumado!", esta certeza abriu a possibilidade para um estilo de vida marcado pela liberdade diante do poder do maligno. A igreja pode desfrutar de uma vida vitoriosa sobre o pecado e toda forma de maldade. Ela pode prosseguir em sua marcha para a eternidade convicta de que as aflições e tentações às quais está exposta não serão capazes de desviá-la da rota. Cristo venceu. Sua vitória é nossa. Venceremos.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

VIDA - GRUPO TAUATÓ




VIDA - GRUPO TAUATÓ
Flávio Regis/Jader Gudin

É tão lindo
o sol nascendo
Na paisagem da minha janela

Iluminando,
dando cor à vida
Acariciando a perfumada flor.

E do silêncio
uma suave brisa
A doce música da criação

Ao mesmo tom
preenchendo a sinfonia
Um passarinho a procurar o pão

Olhai, quanta perfeição
Meu Pai, vem das tuas mãos

Toda vida manifesta o teu poder
Grande paz irá permanecer

Olhou,
viu que era bom.

terça-feira, 17 de maio de 2016

INTERAÇÃO HOMEM-MULHER

“Então o Senhor Deus declarou: "Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda” (Gênesis 2:18)

A existência humana não seria completa e agradável se a pessoa humana fosse composta apenas do "masculino". Por isso, foi criada uma “ajudadora” (Salmo 20:2), ajuda misericordiosa de Deus para a humanidade. Esta ajuda deveria estar à altura, “como que diante”, como sua imagem no espelho, “idônea”. A ajuda seria “carne da minha carne e osso dos meus ossos” retirada do “lado”, o elemento físico seria idêntico e o psicológico equivalente. O homem vê sua imagem na mulher. Deus vê sua imagem na interação entre homem e mulher. Deus superior ao homem; o homem igual à mulher. Com a criação de ambos em equivalência física, intelectual e social estavam lançadas as bases da instituição do casamento heterossexual, monogâmico e indissolúvel. A interação homem-mulher expressa adequadamente a glória de Deus. Homem e mulher juntos em uma relação de complementariedade formam a base da família. Em Cristo a discriminação e toda forma de violência física ou simbólica entre homem e mulher é destruída e a vida na graça se torna possível. Na criação foi superada a ameaça da solidão. Na redenção foi superada a tragédia da separação. A diferença é boa e rica. A partir dela é possível construir um relacionamento conjugal baseado em humildade e criatividade. Viva a diferença!

sexta-feira, 13 de maio de 2016

A PALAVRA CRIADORA

“No princípio Deus criou os céus e a terra” (Gênesis 1:1)

A Bíblia começa com a afirmação de que a vida é resultado da vontade criadora e criativa de Deus. Deus é eterno, existe além do tempo e do espaço, não teve começo. Sempre existiu em glória sublime. Ele está no início de tudo; é a origem e a fonte de toda a vida. Tudo que existe deve sua essência a Deus. Ele é Deus criador e sustentador do Universo. Criou tudo a partir do nada, talhando no caos a beleza do cosmos. Trabalhou na criação para que ela o revelasse. Criou tudo com um propósito. O mundo é criação de Deus e, portanto, está sujeito à sua vontade. Jesus é a Palavra criadora que se tornou um ser humano para revelar plenamente o ser de Deus. Sendo o próprio Deus que veio aos homens para salvá-los ele mostrou a todos como é viver a vontade do Pai. Você se submete à vontade soberana do Deus criador? Inicie cada dia em Deus e sua Palavra. Comece cada nova caminhada com Ele. Todo projeto de vida deve ter origem no Deus que dá vida a tudo.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

CRISE TEMERÁRIA

A partir de hoje e por até seis meses o Brasil passa a ter dois presidentes. Enquanto Dilma desce a rampa do Planalto para defender-se no processo instaurado pelo Senado, Temer troca a cadeira de vice pela posição histórica de presidente não-eleito. Temer não é a solução para a crise porque a crise é temerária. Ele foi o principal operador da oposição para aproveitar a perda gradativa de apoio politico do governo Dilma. Para tanto aliou-se a Eduardo Cunha, afastado da presidência da Câmara por ser réu no Supremo Tribunal Federal e a Aécio Neves, investigado pela Operação Lava-Jato. Se o objetivo de Temer era oferecer o mínimo de previsibilidade econômica ao mercado financeiro diante do caos econômico gerado pelos governos petistas, ele não conseguiu dar sinais de que o seu governo paralelo ou tampão será diferente. Os partidos aliados não permitirão que os notáveis atravessem a ponte para o futuro. A crise econômica tem um fundo político e a corrupção generalizada é a causa original da instabilidade que coloca em risco tanto o setor público quanto o privado. Essa corrupção é política mas também empresarial. E o próprio Temer foi citado na Lava-Jato por suspeita de corrupção além de ter um pedido de impeachment análogo ao de Dilma com determinação liminar do Supremo para ser apreciado na Câmara. Temer será um presidente provisório sem a legitimidade do voto que igualmente dependerá de uma coalizão fisiológica a ser formada com a mesma fragmentação política ante a qual o PT sucumbiu. O seu alardeado projeto ético e técnico com medidas de austeridade e eficiência já nasceu comprometido pelo próprio histórico clientelista de uma base com dez partidos além dos nanicos. Para superar essa crise o Brasil não deve temer; precisa cobrar a antecipação das eleições presidenciais e deixar manifesto o inconformismo tanto com a corrupção do PT quanto com o governo temerário que o substituiu.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

AMADOS POR DEUS

"No entanto, o Senhor se afeiçoou aos seus antepassados e os amou, e a vocês, descendentes deles, escolheu entre todas as nações, como hoje se vê" (Deuteronômio 10:15 - NVI)

Moisés está falando da eleição do povo no momento em que Deus restaurava o Pacto do Sinai. Deus escolheu Israel porque o amava, e, por causa desse amor, entrou em aliança com ele, a fim de ser seu Deus e de abençoá-lo. Verdadeiro temor e verdadeiro amor são complementares e inseparáveis. São a resposta de um coração sincero diante da majestade e bondade de Deus, respectivamente, e juntos produzem serviço dedicado e obediência a toda a boa vontade de Deus. Devemos lançar fora todas as afeições e inclinações corruptas, que nos impedem de temer e amar a Deus. Por natureza, nós não amamos a Deus. Este é o pecado original, a fonte de onde nossa maldade é produzida. O impulso natural da natureza pecaminosa é a inimizade contra Deus, por não estar sujeita à Lei de Deus. Mas Deus nos reconciliou em Jesus Cristo para que possamos amar, servir e obedecer-lhe de modo aceitável. Diariamente Sua imagem vai sendo restaurada, de glória em glória, pela presença e atuação do Espírito. Que Deus seja o motivo do nosso louvor. Ele decidiu nos amar, mesmo sem merecermos. Revelou sua vontade na vida e ministério de Jesus, que morreu por nós. Por isso, podemos amar.

sábado, 7 de maio de 2016

É NELE! - STÊNIO MARCIUS




É nEle que que nos movemos
Vivemos e existimos
É nEle, é nEle
Se amo, falo, choro ou canto
É nEle que tudo acontece
É nEle, é nEle

Batidas do meu coração
Dependem desse Maestro
E até o ar que eu respiro
É Ele mesmo quem me dá

Em volta da mesa com os meus
Celebro com vinho a vida
É Ele quem dá gosto a tudo
Com Ele a alegria sempre está.

É nEle que eu descanso
Pois sei em Quem tenho crido
É nEle, é nEle
Fui salvo por Sua graça
Eu trago comigo esta glória
É nEle, é nEle

Arrasto por onde vou
Correntes de amor eterno
E grito ao universo inteiro 
Quem d'Ele vai me separar?
Silêncio na terra e no mar
Silêncio nos mundos distantes
Pois nada me arranca dos braços 
Daquele que me amou primeiro!

sexta-feira, 6 de maio de 2016

CUIDADO COM O FERMENTO!

"Não está certo que vocês estejam orgulhosos! Vocês conhecem aquele ditado: “Um pouco de fermento fermenta toda a massa. Joguem fora o velho fermento do pecado para ficarem completamente puros. Aí vocês serão como massa nova e sem fermento, como vocês, de fato, já são. Porque a nossa Festa da Páscoa está pronta, agora que Cristo, o nosso Cordeiro da Páscoa, já foi oferecido em sacrifício. ” (1 Coríntios 5:6-7 - NTLH)


Fermento tem o sentido metafórico de corrupção em sua tendência de infectar. É um símbolo da natureza humana corruptível aplicado àquilo que, mesmo em pequena quantidade, pela sua influência, contamina o todo. Paulo adverte os coríntios a que agissem drasticamente jogando fora todo orgulho e malícia buscando viver exclusivamente a verdade de Cristo. No contexto imediato, essa atitude os levaria ao extremo de afastar do convívio quem assumira um estilo de vida degenerado. Depois de removida essa contaminação a comunidade poderia celebrar a nova vida marcada pela sinceridade, na luz revelada pelo Senhor. A purificação diária na vida do discípulo de Cristo se dá naturalmente pelo preenchimento da vida com o que Ele pensa, diz e faz. Somente a vida de Jesus, que nunca foi contaminada, pode purificar nosso ser. A advertência para abandonar o pecado passa a fazer sentido para quem decidiu radicalmente viver separado para Deus. Quem resiste ou desiste de seguir a Cristo e adota um estilo de vida pecaminoso se torna uma porta de infecção para todo o corpo. A tolerância diante do pecado permite sua influência na vida de toda a igreja. O pecado de um afeta a vida espiritual de todos. Graças a Deus que o sacrifício de Jesus, como cordeiro sem contaminação, nos permite celebrar a esperança de uma vida livre do pecado.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

EVITANDO A CARNALIDADE

"Dei-lhes leite, e não alimento sólido, pois vocês não estavam em condições de recebê-lo. De fato, vocês ainda não estão em condições, porque ainda são carnais. Porque, visto que há inveja e divisão entre vocês, não estão sendo carnais e agindo como mundanos?" (1 Coríntios 3:2,3).

Cristãos podem ser mestres em conhecimento doutrinário, mas ainda infantis na experiência de vida e nos relacionamentos. Uma evidência desse retardo no crescimento é a atitude contenciosa que leva a disputas religiosas, demonstrando carnalidade e mundanismo. Muitos ainda não evoluíram do "leite", ensino elementar, para o "alimento sólido", conhecimento mais profundo, vivencial. O apóstolo Paulo repreendeu os coríntios por causa da sua imaturidade manifesta nas divisões internas da igreja e ensinou que o crescimento da mesma depende de Deus e não dos homens. As dissensões são uma evidência do espírito mundano, pois crentes imaturos comportam-se como homens naturais. Pensam segundo os padrões humanos de comparação, mas aparentam uma iluminação espiritual superior. Crentes carnais são aqueles que não veem a glória de Deus nem consideram o bem do próximo. Para afirmar a sua missão no mundo a igreja de Cristo deve superar o padrão mundano de sentir e pensar. O desafio é viver a maturidade nos relacionamentos. Uma igreja madura é composta por crentes espirituais que tem seu único fundamento em Cristo, buscam crescer espiritualmente crendo que Deus dá o crescimento, evitam a carnalidade.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

APRENDENDO A OUVIR DEUS

"Depois do terremoto houve um fogo, mas o Senhor não estava nele. E depois do fogo houve o murmúrio de uma brisa suave. Quando Elias ouviu, puxou a capa para cobrir o rosto, saiu e ficou à entrada da caverna. E uma voz lhe perguntou: "O que você está fazendo aqui, Elias? " (1 Reis 19:12,13)

Depois de derrotar os profetas de Baal de forma pública e violenta, Elias fugiu para o deserto com medo da rainha Jezabel. Na solidão do Sinai, onde Deus havia estabelecido seu pacto com o povo escolhido, Elias foi repreendido e instruído. Aprendeu que Deus é poderoso, mas sabe ser suave. Em momentos de tensão e angústia a voz divina sussurra uma melodia. O trabalho mais pesado é feito no íntimo para destruir a raiz de toda idolatria que é o orgulho. Isso mostra por que a fé vem pelo ouvir. Elias, um homem de ação, aprende com o silêncio o caminho para restaurar a Lei e vencer a idolatria em Israel. A vida em Cristo é uma experiência que começa no íntimo, de dentro para fora. O nosso relacionamento com Jesus é construído na intimidade. Com essa visão descobrimos que o medo e a angústia podem até ser sufocados pelo ativismo ou aparência, mas Ele nos conhece em essência e quer nos transformar para revelarmos a sua glória no mundo. Somente quanto aprendemos a ouvir sua voz meiga, que associa autoridade e misericórdia, podemos vencer os ídolos. A luta por manter uma reputação religiosa admirável parece menos exigente do que o confronto com a voz divina que revela as contradições interiores. Deus prioriza a mudança do ser e sua voz é sempre um método inconfundível. Basta nos encontrarmos no lugar certo, a sua presença. Ali Ele nos falará e saberemos o que fazer.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

ADVERTÊNCIA CONTRA A PRESUNÇÃO

"Portanto, esteja certo de que não é por causa de sua justiça que o Senhor seu Deus lhe dá esta boa terra para dela tomar posse, pois você é um povo obstinado" (Deuteronômio 9:6).

Moisés lembrou da crueldade e do poderio bélico das nações inimigas que Israel estava por encontrar em Canaã e afirma que a vitória estaria assegurada pela presença de Deus. Ele adverte contra a presunção de justiça própria. A mão de Deus faria tudo sem considerar mérito algum do povo. Essa repetição da mesma informação tinha o objetivo de inculcar na mente do povo uma compreensão correta de si bem como uma visão do poder e da glória devida exclusivamente a Deus. Cristo é tanto a justiça quanto a força suficiente para a vida cristã. Quem pensa que pode chegar ao céu pelos próprios méritos ainda é ignorante de si, do seu pecado e condenação. Jesus cumpriu a Lei completamente, preenchendo todas as suas exigências a ponto de não permitir que ninguém o acusasse de qualquer pecado. Ele nos batizou no Espírito da Verdade que, em união com o nosso espírito, a partir do íntimo, nos ensina o caminho da justiça. Mas, quem tem o "pescoço duro" precisa de disciplina para aprender a direção da vida. Quanto temos sido teimosos e resistentes em aceitar que não será pelo nosso esforço que a glória de Deus se revelará! Precisamos pedir que o Espírito Santo transforme o coração duro e indócil, reconhecendo que nossa justiça vem do relacionamento com Jesus e que a obediência é a única forma de cooperar com a sua presença perfeita e poderosa em nós.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

SUSTENTADOS PELA FÉ

"Pois o SENHOR, o Deus de Israel, diz isto: “Não acabará a farinha da sua tigela, nem faltará azeite no seu jarro até o dia em que eu, o SENHOR, fizer cair chuva. ” (1Rs 17:14)

A multiplicação sobrenatural do alimento para uma viúva estrangeira e pobre pelo profeta Elias ilustra bem como o suprimento divino na vida do crente é um milagre diário. Elias não era um homem rico ou influente. Era apenas um profeta de Deus fugindo da perseguição e por suas características rústicas fora reconhecido pela mulher de Sarepta, no litoral palestino. O Deus revelado em Elias confunde as expectativas humanas invertendo os valores do mundo. A mulher confiou na palavra do profeta esvaziando-se de qualquer resistência interior e aventurando-se em viver sustentada na promessa do Deus de Israel.
Jesus é o "pão da vida" que se multiplica espontaneamente a partir do nosso interior sustentando nossa alma diante das dificuldades. Quando o recebemos por fé, abrimos o ser para conhecer o poder de Deus em nosso auxílio, sempre em momento oportuno, mesmo no "dia mal". Passamos a viver em esperança, descansando em Sua presença que provê tudo que é necessário. Essa presença perfeita e poderosa nos capacita a repartir com o próximo o que consideramos pouco ou insuficiente. A partir do relacionamento com Jesus, pela fé, podemos servir em amor.
Mas esvaziar o ego deve ser o milagre que precede o enchimento com os recursos materiais. Quando oferecemos a Deus tudo o que somos ou possuímos estamos preparados para receber dele o que será necessário para viver debaixo da sua glória na certeza de que não seremos decepcionados no dia da dificuldade. A fé sendo testada em seus limites, quando os recursos se esgotam, abre a alma para o agir de Deus.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

PROVIDÊNCIA PARA A CAMINHADA

"Durante esses quarenta anos as roupas que vocês vestiam não ficaram gastas, e os seus pés não ficaram inchados" (Deuteronômio 8:4)

No caminho para a Boa Terra o deserto é disciplina do Senhor. O povo precisava lembrar quem estava na condução da História. Será necessário obedecer por toda a caminhada exercitando a humildade. Deus é fiel à sua promessa de preservar e conduzir o Seu povo. A isso chamamos "providência divina", uma proteção especial da parte de Deus. Jesus é o caminho verdadeiro que conduz à vida. Ele trilhou pelo deserto da existência humana, sujeito às mesmas limitações da jornada. Muito além disso, ele revelou-se como único Caminho para que a humanidade desfrute plenamente do relacionamento vital com o Deus. Conhecendo Cristo através de uma experiência pessoal, podemos atravessar o deserto com esperança. Ainda que no fim dessa via dolorosa esteja uma cruz sangrenta, pela alegria da comunhão com o Pai, caminhamos firmes em sua promessa. Ele sempre agirá em todas essas circunstâncias para que Cristo seja formado em nós. Nossa esperança está na providência do Seu amor que nos protegerá de modo especial. A sua disciplina, que nos torna humildes, não permitirá que sejamos destruídos. Enquanto caminhamos pelo deserto da vida, o Caminho da vida será revelado em nós.

sábado, 16 de abril de 2016

MURO NA ESPLANADA

Pela segunda vez em menos de trinta anos (1992-2016) a jovem democracia brasileira lança não de um dos seus instrumentos mais radicais, embora constitucionalmente previsto. O debate político entre governo e oposição na Câmara sobre a admissibilidade do impeachment divide o salão verde entre esquerda e direta e é acompanhado do lado de fora por manifestantes divididos pelo muro metálico de um quilômetro ao longo do gramado da Esplanada dos Ministérios. Outro muro, o da intolerância, vem crescendo desde a última eleição presidencial. Independente do resultado de amanhã, o Brasil precisa derrubar esse muro e convergir em torno de um projeto de saída para a crise. A liderança de tal projeto não está em nenhum dos lados do muro, muito menos em quem escolheu ficar em cima dele. O povo tem sinalizado tanto nas ruas quanto nas redes sociais que o impedimento da presidente Dilma com a substituição pelo vice Temer pode agravará a crise política e econômica. Nem uma nem outro reúne as condições mínimas para unir a Nação. Somente uma antecipação das eleições gerais previstas para 2018 devolverá ao povo o protagonismo desse processo. Mas a carência desse momento histórico continua sendo de um nome que conjugue a legitimidade institucional, o carisma popular e a capacidade de articulação da governabilidade.

sexta-feira, 18 de março de 2016

O JUIZ E AS RUAS

Quando as ruas hostilizam políticos como oportunistas e aclamam um magistrado como "Salvador da Pátria" é porque já chegamos ao ponto mais grave da crise institucional pela qual passa o Brasil. Depois da equivocada condução coercitiva do ex-presidente Lula, o juiz Sergio Moro revelou a motivação política por traz da Operação Lava-Jato, que já vinha sendo questionada por conta dos vazamentos seletivos e agora prede credibilidade em função da divulgação ilegal de escutas telefônicas envolvendo a Presidente. Essa politização do judiciário consegue ser mais ameaçadora à democracia do que a judicialização da política. O uso ideológico do messianismo, tão enraizado na cultura brasileira, extrapolou as raias da política partidária e alcança o Poder Judiciário, fabricando heróis midiáticos. Primeiro, Joaquim Barbosa, no episódio do Mensalão. Agora, o Rei da República de Curitiba. Se rejeitamos esta visão superficial e leviana, própria da narrativa político-partidária, que inventa salvadores a partir de personalidades carismáticas, muito mais devemos ficar preocupados quando as togas se transformam em mortalhas no carnaval midiático; quando homens da justiça se deixam seduzir por flash ou close e perdem o senso da missão, que deve restringir-se aos limites da legalidade.

domingo, 6 de março de 2016

OPOSIÇÃO SEM POSIÇÃO

Diante do retorno de Lula ao palanque, de onde as oposições não desceram, os partidos liderados pelo PSDB e setores do PMDB, intensificam a articulação para antecipar 2018. Lula é o maior líder popular do Brasil e se tornou um símbolo nacional. Agora, a sua vitimização se torna a única estratégia de mobilização da militância do PT. O PT, que fez da oposição sua escola de guerra, sabe que o ataque é a melhor defesa e começa a armar o contragolpe. Enquanto isso, o país caminha para a depressão econômica. O governo Dilma é incompetente e incapaz de unir as forças políticas, nem mesmo em sua base. Contudo, o mais preocupante é saber que a oposição se mostra sem posição e faz da alternância de poder seu único projeto. Qual a proposta para o combate à corrupção? O que se propõe para tornar o Estado mais eficiente? Existe um projeto de Nação? O PT, enquanto era oposição, respondia eloquentemente a esses questionamentos. Uma vez na situação, preservou a retórica, mas perdeu a credibilidade. Nem assim a oposição foi capaz de ir além do ressentimento. Com as principais lideranças também sendo investigadas ou na condição de réus, perderam a oportunidade de apontar um caminho diferente.