quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O PROJETO PERFEITO PARA A VIDA

Todos os planos humanos são parciais e provisórios pois somente Deus possui a visão total da vida e pode direcioná-la para a perfeição. O projeto perfeito para a vida foi revelado por Deus na pessoa de Cristo. 

Em Efésios 4:13-16, Paulo apresenta o projeto perfeito de Deus para a humanidade na pessoa de Jesus. A mensagem desta carta é a suficiência e a centralidade de Cristo na criação e na igreja. Ele aproveita a sua condição de prisioneiro do Império Romano para contrastar o projeto político de Roma, centralizado em César, com a visão espiritual de domínio universal de Cristo. 


A carta pode ser dividida em duas partes seguindo o esquema da saudação: Graça e Paz. Graça, parte teórica (1-3), trata da totalidade do agir de Deus na criação e especialmente na redenção da humanidade em Cristo. Paz, aplica o resultado da graça como reconciliação com Deus, consigo e com o próximo.
O capítulo 4 começa a parte prática da epístola exortando as igrejas a viverem em unidade rumo ao crescimento que tem como alvo a perfeição de Cristo. A maturidade não poderia ser alcançada nem pelo êxtase nem pelo legalismo e sim por um projeto de vida que tem sua origem e seu alvo na pessoa de Jesus. Aqui implícita uma defesa contra os extremos propostos pela influência tanto de gnósticos quanto de judaizantes. 


Cristo é o projeto perfeito de Deus para a humanidade, para a igreja e para cada cristão individualmente. Paulo usa uma imagem genética para ensinar que uma criança já possui todas as características do adulto, no entanto, precisa passar por um longo processo de amadurecimento. Jesus, segundo os Evangelhos (João 1:14; Lucas 2:52), encarnou toda a graça e a verdade divinas e representa a medida da maturidade. Ele é a “medida plena”, ou seja, determina o nível da vida cristã sendo capaz de preencher completamente a vida do cristão. 


Perfeito (teleios) significa levado a seu fim, finalizado; que não carece de nada necessário para estar completo. Conquanto somente Jesus, o Filho Eterno de Deus, seja perfeito por ser o Supremo Ser, autossuficiente, e o Supremo Bem, a fonte da bondade, através do relacionamento íntimo e contínuo com Ele, o cristão é aperfeiçoado de forma ativa e progressiva. 


A partir da regeneração o cristão começa a desenvolver um relacionamento profundo e permanente com Cristo. Começa a receber a “plenitude de Cristo” (Ef 1:22). Cristo passa a viver e ser formado nele (Gl 2:20; 4:19). 


Esse processo de aperfeiçoamento do cristão envolve, pelo menos, três aspectos básicos: identidade, situação da vida e visão de futuro. O cristão sabe que seu ser está definido e determinado em Cristo e é através do seu relacionamento pessoal com Ele que avaliará continuamente a situação da vida, se está próximo ou distante dos valores e atitudes de Jesus, quais as áreas da sua vida não refletem a glória da presença de Cristo. A visão de futuro será sempre aprofundar e intensificar a relação pessoal com Jesus de modo que as pessoas ao redor vejam graça e verdade em cada momento. 


Projetos de vida baseados no poder humano sempre geram frustração e desespero no final. O Império Romano caiu diante dos bárbaros. Os novos gnósticos e judeus contemporâneos continuam querendo alcançar a perfeição pela via mística ou pela obsessão em cumprir as regras por eles mesmos criadas. Mas quem está em Cristo é “nova criação” (2 Co 5:17) e pode viver plenamente o projeto perfeito de Deus. Saberá quem é (um com Cristo), qual a sua real situação (necessidade de maior comunhão com Cristo) e a visão adequada de futuro (transmitir Cristo em tudo que faz).