segunda-feira, 9 de maio de 2016

AMADOS POR DEUS

"No entanto, o Senhor se afeiçoou aos seus antepassados e os amou, e a vocês, descendentes deles, escolheu entre todas as nações, como hoje se vê" (Deuteronômio 10:15 - NVI)

Moisés está falando da eleição do povo no momento em que Deus restaurava o Pacto do Sinai. Deus escolheu Israel porque o amava, e, por causa desse amor, entrou em aliança com ele, a fim de ser seu Deus e de abençoá-lo. Verdadeiro temor e verdadeiro amor são complementares e inseparáveis. São a resposta de um coração sincero diante da majestade e bondade de Deus, respectivamente, e juntos produzem serviço dedicado e obediência a toda a boa vontade de Deus. Devemos lançar fora todas as afeições e inclinações corruptas, que nos impedem de temer e amar a Deus. Por natureza, nós não amamos a Deus. Este é o pecado original, a fonte de onde nossa maldade é produzida. O impulso natural da natureza pecaminosa é a inimizade contra Deus, por não estar sujeita à Lei de Deus. Mas Deus nos reconciliou em Jesus Cristo para que possamos amar, servir e obedecer-lhe de modo aceitável. Diariamente Sua imagem vai sendo restaurada, de glória em glória, pela presença e atuação do Espírito. Que Deus seja o motivo do nosso louvor. Ele decidiu nos amar, mesmo sem merecermos. Revelou sua vontade na vida e ministério de Jesus, que morreu por nós. Por isso, podemos amar.