segunda-feira, 2 de maio de 2016

ADVERTÊNCIA CONTRA A PRESUNÇÃO

"Portanto, esteja certo de que não é por causa de sua justiça que o Senhor seu Deus lhe dá esta boa terra para dela tomar posse, pois você é um povo obstinado" (Deuteronômio 9:6).

Moisés lembrou da crueldade e do poderio bélico das nações inimigas que Israel estava por encontrar em Canaã e afirma que a vitória estaria assegurada pela presença de Deus. Ele adverte contra a presunção de justiça própria. A mão de Deus faria tudo sem considerar mérito algum do povo. Essa repetição da mesma informação tinha o objetivo de inculcar na mente do povo uma compreensão correta de si bem como uma visão do poder e da glória devida exclusivamente a Deus. Cristo é tanto a justiça quanto a força suficiente para a vida cristã. Quem pensa que pode chegar ao céu pelos próprios méritos ainda é ignorante de si, do seu pecado e condenação. Jesus cumpriu a Lei completamente, preenchendo todas as suas exigências a ponto de não permitir que ninguém o acusasse de qualquer pecado. Ele nos batizou no Espírito da Verdade que, em união com o nosso espírito, a partir do íntimo, nos ensina o caminho da justiça. Mas, quem tem o "pescoço duro" precisa de disciplina para aprender a direção da vida. Quanto temos sido teimosos e resistentes em aceitar que não será pelo nosso esforço que a glória de Deus se revelará! Precisamos pedir que o Espírito Santo transforme o coração duro e indócil, reconhecendo que nossa justiça vem do relacionamento com Jesus e que a obediência é a única forma de cooperar com a sua presença perfeita e poderosa em nós.